Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SPORTING CLUBE COURENSE

85 ANOS - 1932/2017

SPORTING CLUBE COURENSE

85 ANOS - 1932/2017

INFANTIS...

CONVOCATÓRIA:

 

S.C.COURENSE  - VALENCIANO

 

 

  • FRANCISCO
  • J.HERCULANO
  • PINHEIRO
  • PAULO
  • BRUNO
  • MONTENEGRO
  • DANNY
  • NUNO CEIA
  • NUNO RODRIGUES
  • FERNANDO
  • MARCELO
  • CLÁUDIO

TREINADOR: CARLOS ARAÚJO

DIRECTORES: FILIPE AMORIM E FILIPE ALVES

 

CONCENTRAÇÃO: 08.15 - CAMPO DE JOGOS

EQUIPAMENTO PRINCIPAL E FATO DE TREINO

 

 

INICIADOS...

CONVOCATÓRIA:

 

VIANENSE - S.C.COURENSE

 

  • TONI
  • XOCO
  • TUGA
  • J.ALMEIDA
  • IVO
  • BIGODES
  • RICARDO
  • TENENTE
  • PORTELA
  • HUGO
  • XAVI
  • DANY
  • MUSTAPHÁ
  • NUNO

TREINADOR: ALBERTO ALVES

DIRECTOR: JORGE PEREIRA

 

PARTIDA: 07.45 - CAMPO DE JOGOS

EQUIPAMENTO PRINCIPAL E FATO DE TREINO

JUNIORES...

CONVOCATÓRIA:

 

 

NEVES - S.C.COURENSE

 

  • ESPIGA
  • ZÉ LUÍS
  • M. PEREIRA
  • DANTAS
  • ROCHA
  • PEDRINHO
  • OLIVEIRA
  • CRISTIANO
  • BATATA
  • ANDRÉ
  • GAIOSO
  • NANDINHO
  • RUI DANTAS
  • LEO
  • PAULO
  • ZÉ MARIA
  • PEDRO G.
  • NIKO
  • EDUARDO
  • PIRA

TREINADOR: NINI

TR. ADJ.: QUIM

MASSAGISTA: FILIPE

DIRECTOR: MANUEL QUINTINO

 

PARTIDA 13.00 - CAMPO DE JOGOS

EQUIPAMENTO PRINCIPAL E FATO DE TREINO

 

PASTELARIA VISCONDE

ESCOLAS 2000...

CONVOCATÓRIA:

 

S.C.COURENSE - P. BARCA

 

  • XANECO
  • LUÍS MIGUEL
  • ANDRÉ RIBAS
  • ANDRÉ BRAGA
  • RAFAEL GOMES
  • RAFAEL SÁ
  • TIAGO ALVES
  • HUGO
  • CRIS
  • HUGUINHO
  • DIOGO
  • PEREIRINHA

TREINADOR: RICARDO MARINHO

TRE. ADJ.: BRUNO MARINHO

DIRECTOR: MAROCAS

 

CONCENTRAÇÃO: 09.30 - CAMPO DE JOGOS

EQUIPAMENTOS PRINCIPAL E ALTERNATIVO E FATO DE TREINO

 

 

SÁBADO 01/05/2010

 

 

FUTEBOL

 

 
 
CAMPEONATO DISTRITAL DE INFANTIS DA A.F.V.CASTELO
 
S.C.COURENSE
 
VALENCIANO
 
SÁBADO 09.30
ESTÁDIO DO S.C.COURENSE

     

 

 

 

FUTEBOL

 

 
 
CAMPEONATO DISTRITAL DE ESCOLAS 2000 DA A.F.V.CASTELO 
S.C.COURENSE

P. BARCA

SÁBADO 11.00

ESTÁDIO DO S.C.COURENSE

     

SENIORES...

RESULTADO FINAL:

 

MELGACENSE 2 - S.C.COURENSE 1

(TELMO)

 

 

 

 

INICIADOS...

RESULTADO FINAL:

 

S.C.COURENSE 10 - VENADE 0

 

(HUGO 5; DANY 2; DANNY; NUNO CEIA; AUTO-GOLO)

 

 

 

 

MELHOR EM CAMPO: TENENTE

Entrevista...

Na senda da série de entrevistas aos treinadores da formação, segue-se Carlos Araújo, treinador da equipa de Infantis.

 

 


 

 

 

 

Nome?

-Carlos Jorge Pereira Araújo

Data e local de nascimento?

-15-01-1981, Parada, Paredes de Coura

Estado civil?

-Solteiro

Habilitações literárias e desportivas?

-12º ano de escolaridade e desportivamente curso de treinador de futebol nivel 1 com a classificação final “Bom”

Profissão?

-Canalizador

Clube?

-Benfica

Hobby?

-Para alem do trabalho tenho poucos tempos livres mas quando tenho gosto de passear e ouvir musica

Comida favorita?

-Uma boa mariscada

Filme favorito?

-A Vida é bela, A Noiva Cadáver, Mistic River, 21 Gramas, Rei Leão

Musica favorita?

-“Disarm” dos Smashing Pumpkins

 

 

Como começou a tua carreira como treinador? -Comecei há seis anos, fui convidado para trabalhar como adjunto do Pedro Viana nos infantis, trabalhei com o Pedro uma época e depois comecei a trabalhar no escalão de escolas com aquela que é hoje a base da equipa de infantis.

Há quanto tempo estás no clube?

-Eu estou no courense desde o meu primeiro ano de juvenil teria então 15 anos, já lá vão 14 anos.

Como surgiu a possibilidade de pertenceres aos quadros do clube?

-Surgiu da forma mais natural que pode acontecer, alguns colegas da escola jogavam no courense e eu resolvi aparecer também para fazer uma das coisas que mais gostava que era jogar futebol, e cá estou até hoje.

Pode-se dizer que começar com uma equipa muito jovem em termos de competição (escolas), foi um desafio? -Obviamente que sim, por várias razões. Para uma pessoa que está a dar os primeiros passos como treinador ter que ensinar crianças que estão também a começar a jogar revelou-se um tremendo desafio. Tem sido uma constante aprendizagem, eu tenho aprendido com eles e tenho a convicção que eles tem aprendido algo comigo.

Como é que consegues conciliar a sua vida profissional, a vida pessoal e familiar, pois como todos sabemos além da equipa de infantis, fazes parte do plantel sénior?

-Fico com a agenda supere ocupada, para dar um exemplo, nos dias de treino saio de casa para trabalhar as 7.30h com o saco de treino, saio do trabalho as 17h e vou directo para o treino dos infantis que é as 18h e depois às 19.30h tenho o meu treino, chego a casa por volta das 21.30h. é sempre a correr, mas como são coisas que gosto de fazer posso dizer que vale o sacrifício.

Centrando-nos na equipa de Infantis, como está a decorrer a época?

-Posso dizer que está a ser uma época bastante positiva, tenho um grupo de miúdos que gosto muito, muito empenhados, que raramente faltam aos treinos o que permite trabalhar bem durante a semana e que tem interiorizado bastante bem as ideias base de jogo da equipa. Tenho uma equipa que tem sempre uma atitude competitiva fantástica, dão sempre o máximo nos jogos. Tenho um senão que tem sido a minha maior luta durante a época que é faze-los perceber que o objectivo do que se faz no treino não é ganhar os joguinhos que se fazem lá, mas sim preparar a equipa para sermos mais fortes nos jogos, e por vezes desconcentram-se nos treinos com preocupações menores como uma falta ou uma bola que saiu ou porque tem uma equipa mais fraca que a outra. Tenho conversado muito acerca disso mas tem sido uma tarefa dificil faze-los entender essa perspectiva do treino.

Perspectivas em termos de resultados, se é que se pode ou deve falar nisso nestas idades?

-É minha opinião que em formação não se deve por em primeiro lugar os resultados e eu não o faço. Quero apenas que eles se divirtam e que entendam que para jogar é preciso treinar, e eles sabem que se não treinarem não jogam, jogam aqueles que trabalharam durante a semana, mesmo que em teoria jogue uma equipa menos forte e o meu principal objectivo é que eles cresçam como jogadores e como homens com a ideia formada que o trabalho e o esforço devem ser recompensados. A partir daí os resultados naturalmente serão melhores.

Proponho agora uma análise em termos de evolução, aplicação, assiduidade, educação, mentalidade etc:

  • Francisco- o Chico tem todas as condições para ser um grande guarda-redes, tem uma estatura considerável para a idade, é esforçado e não gosta de errar. Se trabalhar sempre no máximo vai chegar lá. Precisa  no entanto de ter um maior controlo emocional porque por vezes os nervos pregam-lhe partidas.
  • J. Herculano- o João apesar de mais baixo que o Chico tem também imensas qualidades. É muito forte no um para um nas saídas da baliza, é muito calmo e confiante. Precisa no entanto de melhorar o seu jogo entre os postes e trabalhar mais a sério pois por vezes leva as coisas muito na brincadeira.
  • Pinheiro- o pinheiro é um jogador muito evoluído tacticamente, percebe facilmente o que lhe peço e está sempre no sitio certo quer a lateral direito quer a defesa central. Sendo infantil de primeiro ano tem sentido algumas dificuldades de adaptação a um ritmo de jogo mais elevado que em escolas.
  • Laroto- o Nuno Laroto é um dos caloiros da equipa e tem sentido as dificuldades  normais de entrar numa equipa e de jogar contra adversários que tem já alguns anos de futebol. Tem no entanto evoluído bastante desde o inicio da época mas poderá evoluir muito mais se trabalhar durante a semana mais sério.
  • Paulo- o Paulo chegou o ano passado a meio da época e tem feito uma evolução fantástica em todos os sentidos, físicos, técnicos, tácticos e mentais. É um dos pilares da equipa. Tem jogado a central e é um poço de força, ganha quase todos os duelos individuais, não tem medo de jogar de cabeça (já marcou 2 golos de cabeça) e sai muito bem a jogar depois de recuperar a bola. É de uma entrega ao jogo enorme mas precisa no entanto de controlar os ímpetos pois por vezes quer fazer tudo gastando energias físicas e mentais desnecessariamente.
  • Cris- o Cris é velocidade, é explosão, é garra. Normalmente ou joga a avançado ou a lateral. Quando joga a avançado é um desequilibrador, “inventa” muitas oportunidades de golo, tem uma capacidade enorme de desmarcação, no entanto tem pouca paciência e esclarecimento na finalização. A lateral é quase intransponível pois é muito rápido e forte e aparece muito bem de traz a criar superioridade. Precisa de ser mais assíduo pois por vezes “desaparece” por uns tempos.
  • Cláudio- Também é o primeiro ano que faz parte da equipa e tem sido dos que mais tem evoluído devido a sua entrega e dedicação, é muito inteligente e tem assimilado muito bem os processos. Tem algumas dificuldades de velocidade e coordenação mas tem melhorado muito e não tenho duvidas que a trabalhar assim pode vir a ser um excelente central.
  • Nuno R.- Outro dos caloiros da equipa, só foi inscrito na segunda volta mas tem sido uma surpresa muito positiva. Aproveitou muito bem a ausência de jogadores nucleares para encontrar o seu espaço na equipa marcou um golo no seu jogo de estreia. a qualidade de passe é a sua grande arma. Tem jogado a médio mas precisa de melhor alguns aspectos do seu posicionamento em campo, e continuar a trabalhar com empenho para continuar a sua evolução.
  • Montenegro- o Montenegro é sinonimo de inteligência. Pela sua postura é um exemplo fora e dentro do campo para os colegas. Tem um excelente pé esquerdo e é o equilíbrio da equipa. o ano passado teve dificuldades em acompanhar o ritmo mais elevado mas este ano está a fazer uma época em grande.
  • Danny- É o capitão, literalmente. Em muitos jogos tem levado a equipa as costas, nos momentos mais complicados é quase sempre ele que indica o caminho certo. Pé esquerdo acima da média alia enorme técnica a uma garra fantástica. Apesar de jogar a médio é o melhor marcador da equipa.
  • Fernando- é o estrangeiro da equipa já que é de uma freguesia limítrofe de Cerveira. É um exemplo de dedicação já que faz um esforço enorme para não faltar aos treinos mesmo estando a estudar em campos. Chegou também este ano, chegou muito verdinho apesar de possuidor de boa técnica. Tudo o que tem conseguido tem sido com o seu trabalho, é daqueles que quando tem dúvidas gosta de questionar para aprender mais rápido. Precisa de melhorar a agressividade nos duelos um para um, às vezes digo-lhe a brincar que precisa de ser mais mau.
  • Nuno Ceia- o Nuno é um matador nato. Tem grande capacidade física, é rápido e tem um potente e espontâneo remate. É no entanto por vezes difícil lidar com ele, parece por vezes que vive num mundo só dele.
  • Marcelo- é o “Levezinho” da equipa. é explosivo e eléctrico. Quando entra e enquanto as pilhas duram é capaz de agitar o jogo e de acordar a equipa.
  • João Sousa- o João é um apaixonado pelo futebol e pelo Courense. É um exemplo de amor à camisola. Apesar de não ser muito rápido quando joga a lateral consegue compensar isso com bom sentido posicional.
  • Bruno- apesar de ser destro consegue adaptar-se bem a posição de lateral esquerdo, posição que tem jogado quase sempre. Boa técnica, aparece muito bem a criar desequilíbrios. A exemplo do que disse do Fernando precisa de maior agressividade, as vezes parece que joga com pezinhos de lã.
  • Carlos - o Carlos é também um dos caloiros da equipa. tem bom sentido de desmarcação e um bom remate. Tem no entanto de saber ouvir para aprender e não pensar que o que faz é o que está certo.
  • Nélson- o Né tem tido uma evolução progressiva e muito interessante. Já não é o mesmo Né que me apareceu na equipa a 2 anos, tímido e com dificuldades técnicas. Tem evoluído muito, tem se soltado e está muito mais maduro. Adapta-se também muito bem as duas laterais e a sua grande arma é a velocidade. Deve continuar a trabalhar com afinco.
  • Leandro- o Leandro é o “ausente” da equipa. é o único que ainda não se estreou. É muito pouco assíduo, tira alguns bons períodos de férias o que faz com que a oportunidade dele não tenha aparecido. Tem no entanto qualidades, tem garra, mas precisa perceber que para jogar tem que treinar.

Estás contente com os miúdos, em termos de evolução como equipa?

-Completamente. Se pensar que dos 18 jogadores da equipa 5 é a primeira vez que jogam e que o Chico nunca tinha trabalhado comigo e que muitos deles têm sido utilizados regularmente a resposta só pode ser sim. Os outros já sabiam o que eu pretendo, conheciam a forma de trabalhar, mas os novos tem se integrado muito bem na equipa. Temos crescido muito como equipa, a equipa tem claramente uma forma de jogar definida e joga sempre da mesma maneira independentemente do adversário. É uma equipa com identidade. 

Tens apoio da direcção, quer em presença e em termos logísticos?

-Sim sem dúvida, não me tem faltado nada para desenvolver o meu trabalho.

O Relvado, foi o grande trampolim para de uma vez por todas a formação conquistar o seu espaço?

-Não tenho dúvidas nenhumas que sim. Parece obvio que o aumento do número de crianças e o aumento da sua motivação para praticar futebol está relacionado com a melhoria das condições que o clube tem disponibilizado ultimamente em que o relvado é a face mais visível.

E os pais, parece que finalmente começamos a ver pais a acompanhar os filhos, sobretudo nas equipas de escolas, mesmo nas deslocações a outros campos, a que achas que se deve isso?

-No caso da minha equipa infelizmente são poucos os pais que têm o hábito de ir ver os jogos dos filhos. Acredito que seja por pura impossibilidade, mas é um facto. Pelos anos que levo de treinador tenho reparado uma diferença muito grande de mentalidade das pessoas, nota-se noutros clubes que o hábito de acompanhar os filhos está enraizado, aqui não. Mas há mais diferenças. Aqui as pessoas ainda não vêem a pratica do futebol nas crianças como um importante complemento na formação deles,  na sua integração num contexto de sociedade, e na saudável pratica de uma actividade física. E isso leva a que por exemplo atribuam ao futebol as responsabilidades de situações várias do dia a dia dos miúdos, como por exemplo notas menos boas na escola, sendo frequente os castigos que lhes aplicam ser impedi-los de treinar e jogar por um período de tempo. Durante esta época tem sido frequente ter miúdos da equipa impedidos pelos pais de ir aos treinos. Não me quero intrometer na educação deles mas não me parece de todo a forma mais correcta de os castigar. Haveria outras formas de os castigar como por exemplo priva-los do telemóvel, dos jogos de computador ou de playstation. À custa desses castigos foram poucos os jogos que pude contar com todo o plantel. Gostava imenso que os pais reflectissem um pouco acerca deste assunto e que mudassem esses hábitos que não me parecem os mais correctos.

Não achas que o S.C.Courense em articulação com a A. de Castanheira, deveria tentar captar elementos do sexo feminino, para aí fazerem a sua formação no futebol de 7, dado ser uma competição mista e depois dar o salto para o futsal?

-Não tenho dúvidas que seria uma boa forma de a equipa feminina de castanheira conseguir mais atletas. Infelizmente ainda não há nenhuma rapariga a jogar nas equipas do courense. Eu já várias vezes disse ao meus miúdos para levarem as suas colegas que tem jeito, nem que seja só para elas experimentarem os treinos mas até agora o apelo não surtiu efeito.

Qual foi o momento mais marcante para ti até ao momento esta época?

- Houve um momento que me tocou particularmente, foi no jogo amigável contra a escola futebol de Fonte Boa em que após termos marcado um golo os miúdos vieram todos festejar comigo. São estes momentos que nos fazem pensar que vale a pena trabalhar com crianças.

E na carreira, tanto como jogador, como treinador?

-Como jogador tenho alguns momentos marcantes, momentos que não esquecerei. O dia da minha estreia nos seniores era eu júnior, tinha 17 anos, foi em Lanheses e ganhamos 1-0, joguei o jogo todo. Depois as 3 vitórias na taça de honra também foram momentos fantásticos. Como treinador penso que o torneio realizado o ano passado em França foi um momento incrível, com a presença de equipas de nome mundial como o Marselha, Bordéus, Atlético de Bilbao, Anderletch e o nice. E depois as vitorias sobre o Marselha e sobre o Bordéus foram a cereja no topo do bolo.

Quem foi a pessoal mais importante para ti enquanto desportista?

-Não posso dizer que tenho alguma pessoa que me tenha marcado mais que outra qualquer. Todos sem excepção desde treinadores, directores e colegas foram importantes e a pessoa que sou hoje deve-se também em grande parte a todos eles.

Planos para o futuro?

-Continuar a ter saúde e motivação para fazer as coisas que gosto quer no futebol quer fora dele.

Estás satisfeito no clube, é para continuar?

-Enquanto eu tiver motivação e as pessoas estiverem interessadas nos meus serviços continuarei.

Qual o teu maior sonho para o clube?

-Gostava que as pessoas que tem os destinos do clube nas mãos pensem o clube não apenas a curto prazo. Que dotem o clube se condições estruturais e humanas para que tenha um rumo claro e definido e para que dentro de alguns anos se possam ver os frutos do esforço na formação.

E pessoal?

-É um cliché mas.. ser feliz.

ESCOLAS 2000...

RESULTADO FINAL:

 

ANCORENSE 4 - S.C.COURENSE 4

(CRIS 2; TIAGO ALVES 2)

 

 

 

MELHORES EM CAMPO: CRIS E DIOGO

INFANTIS

RESULTADO FINAL:

 

PAÇÔ 6 - S.C.COURENSE 3

(DANNY 2; MONTENEGRO)

 

MELHOR EM CAMPO: MONTENEGRO

Pág. 1/5